tipos de vidro

Vidros. Tudo o que precisa saber na hora de escolher.


02/06/2021 por marketing

O envidraçamento é um fator determinante no desempenho térmico de portas e ou janelas, uma vez que representa grande parte da superfície.

 

FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO:

1. CONFORTO VISUAL

Um ambiente bem iluminado tem consequências diretas na nossa saúde, estado de espirito e produtividade.

Hoje em dia, dá-se mais importante à luz natural que a artificial, seja por poupança energética ou por conforto visual.

O conforto visual está diretamente relacionado com a Transmissão Luminosa (TL) e com a reflexão.

 

2. CONFORTO TÉRMICO

Obtém-se através do isolamento térmico, do controlo das perdas de calor entre ambientes com temperaturas distintas que pode ser potenciado pelos vidros baixo emissivos (Isolamento Térmico Reforçado).

A conjugação destas caraterísticas possibilita um equilíbrio térmico no interior da habitação durante todo o ano.

Os vidros de isolamento térmico reforçado permitem aumentar a largura dos vãos, sem sofrerem perdas térmicas no inverno

 

No Inverno, com um baixo coeficiente (U) a temperatura da face interior do vidro será mais elevada e os riscos de condensação serão reduzidos.

Nota: Quanto menor for o valor do U, melhor será o desempenho térmico.

 

3. CONFORTO ACÚSTICO

O isolamento de um vão, poderá ser definido com base no Índice de Atenuação Acústica (R) ou através do Índice de Atenuação Acústica Ponderada (Rw)

Um isolamento acústico adequado é um fator fundamental de bem-estar.

O vidro e o caixilho constituem, em conjunto, o elemento que determina o isolamento acústico de toda e qualquer janela.

 

4. SEGURANÇA

Um vidro é designado de “vidro de segurança” quando a sua técnica de fabrico ou a sua montagem permitem reduzir a probabilidade de sinistro por choque, deformação ou incêndio e tem de cumprir com o regulamento 305/2011 do Parlamento Europeu e do Conselho de 9 de Março de 2011.

 

  • QUAIS SÃO OS VIDOS CONSIDERADOS “VIDROS DE SEGURANÇA”?

 

Vidro Temperado:

É um vidro que quando submetido a um tratamento térmico, aumenta significativamente a sua resistência aos choques mecânicos e térmicos.

  • 4 a 5 vezes mais resistente do que um vidro tradicional (recozido);
  • Resistente às tensões térmicas;
  • Em caso de quebra, fragmenta-se em pequenos pedaços, diminuindo assim os riscos de ferimentos graves.

Vidro Termoendurecido:

O vidro termoendurecido é um vidro que é submetido a um tratamento térmico especial que lhe confere resistência a ações mecânicas e térmicas.

Em caso de quebra forma estilhaços.

 

Vidro Laminado:

É composto por dois ou mais vidros unidos entre si através de uma ou mais Peliculas de Butiral Polivinil (PVB), pegajosa, elástica e altamente resistente a ruturas.

É normalmente utilizado quando se pretende ter um grau de segurança extra (sendo que o seu rau de segurança varia consoante o nº de butirais e vidro aplicado) .

Muito utilizado em coberturas, janelas e montras de lojas, claraboias, pisos, guarda-corpos, entre outros locais onde se requer um grau de segurança mais elevado.

Em caso de quebra mantem-se agregado ao PVB, garantindo a integridade e resistência até à sua substituição.

 

 

5. DESIGN

Existe uma gama distinta de vidros decorativos que permitem conjugar o design moderno e inovador com o controla da luminosidade e privacidade.

Dessa forma é possível brincando com cores, formas, texturas e criar inúmeras soluções distintas.

 

COMO TIRAR O MELHOR PARTIDO DE CADA FACHADA?

  • Edifícios com fachadas orientadas Norte não beneficiam praticamente de Sol;
  • Edifícios com fachadas orientadas a Sul beneficiam de uma exposição solar máxima no Inverno (Sol baixo) e no Verão (Sol alto) que podem facilmente ser protegidos com proteção solar adequada a cada vão (persianas, estores, etc.);
  • Edifícios com fachadas orientadas a Este ou Oeste beneficiam de uma exposição Solar máxima no Verão (manhã a Este, tarde a Oeste).

DICA: Equipar todas as fachadas, à exceção das fachadas a Norte, com um sistema de proteção Solar (estores, brisa solar…) previne o sobreaquecimento ajudando a controlar a temperatura interna do edifício.

 

TIPOS DE VIDROS:

 Vidro float: Vidro tradicional, de base incolor e transparente que transmite muita luz para o interior de um edifício. Pode ser utilizado em quase todas as soluções, tendo em atenção que terá de sofrer transformações consoante a situação e o sítio a ser aplicado. Tende a partir em fragmentos grandes e irregulares.

 

Vidro fosco: Vidro translucido ideal para espaços onde é pretendido manter a privacidade, sem perder a luz solas. É um vidro de alta transmissão luminosa, frequentemente utilizado em casas de banho e escritórios.

 

Vidro impresso: Vidro translucido que recebe impressão de um desenho ou motivos decorativos de uma ou ambas as faces.

 

Vidro lacado: Vidro opaco com uma face colorida, aplicado maioritariamente em revestimento de paredes e mobiliário.

 

Vidro laminado: Vidro composto por dois ou mais vidros, unidos por 1 ou mais Butirais de Polivinilo (PVB). Oferece segurança contra impactos acidentais, controlo acústico e proteção contra raios UV. É um vidro de alta segurança que quando quebra, os seus fragmentos ficam agregados à pelicula (PVB) mantendo-se intacto até à sua substituição, evitando assim ferimentos.

  • Vidro laminado acústico: Vidro composto por 2 ou mais vidros, unidos por 1 ou mais Butirais de Polivinilo (PVB). É um vidro de alta segurança com maior isolamento acústico, que atenua os ruídos do exterior ou interior de edifícios ideal para zonas de maior fluxo rodoviário ou elevado ruido.
  • Vidro laminado temperado: Vidro composto por 2 ou mais vidros unidos por 1 ou mais Butirais de Polivinilo (PVB) que passa por um tratamento térmico que aumenta a sua resistência, diminuindo por consequência, a rotura por choque mecânico, flexão e/ou choque térmico. É considerando como um vidro de segurança, muito utilizado em locais públicos.

 

Vidro temperado: Vidro que passa por um tratamento térmico que aumenta a sua resistência mecânica, diminuindo assim a rotura por choque mecânico, flexão e/ou choque térmico, tornando-se um vidro mais resistente e seguro. Quebra em pequenos pedaços não cortantes.

 

Vidro termoendurecido: Semelhante ao vidro temperado. É um vidro  submetido a um ciclo de aquecimento e arrefecimento que lhe confere uma elevada resistência mecânica e térmica. Quebra em fragmentos que tendem a ser maiores que os do vidro temperado.

 

Vidro anti-reflexo: Vidro que possui boas capacidades de difundir a luz. O anti-reflexo é proveniente do vidro impresso.

 

Vidro extra-claro: Vidro único que se distingue pela sua transparência e baixa coloração. Apresenta uma tonalidade muito branca a luminosa.

 

Vidro de controlo Solar: É um vidro que leva uma capa que limita a entrada de raios solares, permitindo assim a entrada de luz solar enquanto reflete uma parte do calor vindo do Sol, otimizando a transmissão de luz e o desempenho térmico.  Filtra a energia solar, reduzindo deste modo a quantidade de calor que entra  num edifício através do vidro. É a opção ideal para maximizar a luz natural do dia e refletir o máximo de calor, melhorando a eficiência energética.

 

Vidro duplo: Constituído por dois ou mais vidros separados entre si por uma câmara de ar que pode ser preenchida por Ar ou Gás. É um vidro que tem um nível elevado de transmissão luminosa enquanto reduz os custos energéticos. Este vidro permite a criação de um bom isolamento térmico e acústico, reduzindo as perdas de calor e os ruídos vindos do exterior.

 

Vidros especiais:

  • Vidro Corta-fogo: Evita que em caso de fogo, as chamas se propaguem, uma vez que é compostos por diversas camadas de proteção que formam um isolamento que absorve a energia das chamas. A superfície em contacto com o fogo, quebra mas não se separa.
  • Vidros Autolimpeza: é um vidro incolor sobre o qual é depositada uma capa transparente e durável de um material que utiliza a própria luz e a chuva para formar uma camada fina que ajuda a remover a sujidade. Sendo ideal para colocar em sítios de difícil acesso.
  • Vidro Decorativo/ Texturado: Vidro que pode ser aplicado para efeitos de privacidade e ou decoração. Alia o efeito de luminosidade pretendido de um vidro com a decoração desejada

 

 

EXEMPLOS DE ENCHIMENTO QUE AUMENTAM O DESEMPENHO TÉRMICO DO VIDRO:

  •  Ar

No vidro duplo convencional, pode-se utilizar Ar como preenchimento do espaço entre as duas superfícies. Ar atmosférico composto principalmente por oxigénio e azoto, que proporciona um nível considerado de isolamento térmico e acústico.

 

Mas, o espaço entre dois vidros pode ser preenchido com gases da atmosfera e selados. Gases esses, que por serem maus condutores de calor e terem uma maior densidade, conferem um poder isolante consideravelmente superior ao Ar, como é o caso o Árgon; Kripton e Xénon.

Nota: Árgon, Kipton e Xénon são gases obtidos a partir da purificação do Ar atmosférico, e como tal, com custos naturalmente mais elevados e que serão tanto mais caros quanto mais raros forem. Dado a sua escassez a produção industrial de vidros preenchidos com Kripton ou Xénon te custos elevados e não rentáveis. Optando-se assim pela utilização do gás Árgon, uma solução mais eficaz e com custos mais reduzidos.

 

  • Gás Árgon

O Árgon representa 0.93% da atmosfera terrestre, o que faz dele o terceiro gás mais abundante. É um gás incolor, e estável quando submetido a UV.

O preenchimento com Árgon, independentemente do tipo de vidro duplo aplicado, possibilita uma melhoria de 15% na capacidade de isolamento.

 

O Vidro influencia diretamente o desempenho térmico e acústico de uma porta/janela e deve ser escolhido conforme as necessidades de conforto térmico e luminoso, em função das características climáticas da zona envolvente e da orientação solar dos vãos!

 

 

Fique a conhecer os nosso produtos aqui.

 

Deixe um comentário


Mensagem

Form is deprecated, please cotact the webmaster to upgrade this form.